Adriano DiSidney

Canto

Adriano DiSidney iniciou sua carreira profissional como ator e cantor crossover (cantando como barítono lírico, em óperas, e como baritenor, em musicais) em 1994.

Apresentou-se com diversos grupos vocais, madrigais e coros de ópera – trabalhando também como preparador vocal e maestro assistente - em turnês pelos Estados Unidos (Nova York, Atlanta, Indianápolis), América do Sul (Argentina, Uruguai e Paraguai, além de algumas cidades e capitais brasileiras) e Europa (Viena na Áustria, Budapeste na Hungria, Praga na República Tcheca).

Constam de seu repertório lírico "A Cantata do Café" (Bach), "A Flauta Mágica", "Don Giovanni" e "Requiem" (Mozart), "La Bohème", "Madama Butterfly" e "Gianni Schicchi" (Puccini), a premiére mundial da ópera "A Carta" (Elomar Figueira de Mello),  "Sansão e Dalila" (Saint-Saens), "Le Troyens" (Berlioz) e "La Vie Parisienne" (Offenbach), entre outros.

 Protagonizou os musicais "Jesus Christ Superstar" (Webber) como Pilatos, "Les Miséràbles" (Schönberg) como M. Thenardier, "Avenida Q" (Lopez) como Gary Coleman, além de inúmeros shows e concertos.

 Em 2005 iniciou sua carreira internacional nos Estados Unidos, onde cantou "Birthday Ode for Queen Mary" (H. Purcell), "The Beggar’s Opera" (J. Gay), "The Pirates of Penzance" (G. Sullivan), "West Side Story" – excertos (Bernstein) e "La Cenerentola" (Rossini).

 Atua também como professor/coaching vocal e diretor musical, assinando espetáculos como "Quem inventou o Amor foi Roberto Carlos", "TeenBroadway 2010", e "Avenida Q" – temporadas 2013 e 2010.

​Estreou na Televisão em 2011, fazendo uma participação especial na novela "Amor e Revolução", do SBT,  sob a direção de Reynaldo Boury, interpretando o Minhoca.

 Com mestrado em Música - performance vocal, e sob orientação do amigo e maestro Marconi Araújo,  Adriano segue cantando profissionalmente no Brasil e nos Estados Unidos.

Raquel Paulin

Raquel Paulin, soprano conhecida por sua versatilidade vocal, possui vasta carreira e experiência no ramo do teatro musical e operístico, tendo atuado por dois anos consecutivos como solista no Theatro São Pedro. Integrou recentemente o elenco do espetáculo O Fantasma da Ópera, de Andrew Lloyd Webber, onde foi uma das intérpretes a dar vida e voz à protagonista Christine Daaé.

É formada pela Escola Municipal de Música de São Paulo, onde foi orientada pela renomada soprano Laura de Souza. Integrou a primeira turma do Opera Studio do Teatro Municipal de São Paulo e posteriormente se formou na Academia de Ópera do Theatro São Pedro. Foi convidada a participar de concursos internacionalmente conhecidos e foi semifinalista do programa Prelúdio, com idealização do maestro Júlio Medaglia.

Seu repertório inclui peças belcantistas e um vasto repertório de música de câmara, especialmente canções francesas. 

Em agosto de 2019, entrará em turnê nacional no espetáculo Masterclass, ao lado de Christiane Torloni, no espetáculo que narra a vida de Maria Callas enquanto professora da Julliard School. Na ocasião, interpretará Sharon Graham, a grande antagonista de Callas responsável por dar voz à Lady Macbeth de Giuseppe Verdi.

 Em teatro musical, integrou os elencos dos musicais "Mamma Mia!" (2010/2011 - T4F), "Shrek - O musical" (2013 - Kabuki Produções), "Mudança de Hábito" (2015 - T4F) "RENT" (2016/2017 - Belive Produções) e "Master Class" (2018 - Maestro Entretenimento)

Canto

Alexandra Liambos iniciou sua carreira artística em 2001 com a banda de heavy metal Thalion. É Bacharel em canto erudito pela UNESP. Em 2012 concluiu o curso de Artes Cênicas pelo Senac, e o curso de Ópera Estúdio na EMESP sob orientação de Mauro Wrona.

No ano de 2010 participou do 40º Festival de Inverno de Campos do Jordão. Já interpretou personagens como Antônia (Les Contes d'Hoffmann de Offenbach), Susanna (Le Nozze de Figaro de Mozart), Papagena e Pamina (Die Zauberflötede Mozart), Lyusya (Moscou, Tcherymushki de Shostokovich), Ângela (El Hijo Fingido de Joaquim Rodrigo), Nella e Lauretta (Gianni Schicchi de Puccini), além de peças como a Sinfonia n° 2 – Lobgesang – de Mendelssohn, o Requiem de Mozart e as Cantatas de Natal de J. S. Bach e a Missa em C de Schubert. Atualmente é cantora da banda de Groove/Soul Midnight Funkers. E professora de Canto no Studio Marconi Araujo

Alexandra Liambos

Canto

Musicoterapeuta formada pela FMU. Como atriz, participou pela Blues Star Shows de diversas produções. Esteve desde 2010, como parceira da Applauzo produções, estando presente como preparadora vocal e atriz sob a direção de Dan Rosseto.  Em 2016 integrou a equipe de professores do CP Musical, aonde ministra aulas de preparação vocal. Enquanto cantora, tem experiência como vocalista, coralista, solista, e backing vocal. Tem em seu currículo cursos de diversas áreas da arte. Estudou Performance Wolfsohn e Hart com Carol Mendelsohn (eua) Saule Ryan (UK) e Paula Molinari (BR). Em Técnica Vocal para Musical fez coaching com Tituss Burguess (EUA) e iniciou Belting Contemporâneo com o Maestro Marconi Araujo e esteve sob orientação vocal de Tiago Kaltenbacher. È professora de canto e preparadora vocal de cantores atores desde 2008.

Nélida Lima

Vanessa Costa

Dança

Vanessa Costa está a mais de dez anos trabalhando em teatro Musical. Seus últimos trabalhos em cena : 2019 Pippin  ,direção  moeller e botelho ,  trupe e cover de Fastrada  2019 Billy Elliot,  direção John Stefaniuk,atelier de cultura,  personagem Sra Wilkinson 2019 operetta a viúva Alegre, direção Miguel Falabella,  grisetes ( Margot) 2018 Peter Pan, o musical , direção José Possi Neto , swing Dance captain Como assistente de coreografia trabalhou em  Peter Pan musical , Aladdin, Niine , rocky horror show, Cinderela, meu amigo  charĺie Brown. Foi diretora residente nos musicais: Aladdin, rocky horror show, Cinderela,  Meu amigo charĺie Brown, RENT. Participou também de Sweet  charity (2006), Peter Pan,  todos podemos voar( 2007), West Side  story( 2008),  Castelo Ra tim bum personagem celeste ( 2009) , A Bela e a Fera  cover de babete (2009), Cats cassandra e cover de bombalurina (2009/2010), Nem York  New  York (2011), As bruxas de eastwick  (2011), Hair ( 2012), o mágico de oz ( 2012/2013), Se eu fosse você. O musical personagem Denise(2014) , Nine , um musical Felliniano, personagem Claudia ( 2014), Antes tarde do que nunca, cover de Millicent winter ( 2015), Cinderella( 2016), Rocky Horror Show ( 2017), Vamp o musical 2018.

Canto

Formado em Artes Cênicas, iniciou seus estudos em teatro em 2002. Fez parte do grupo de atores da Cia. Emoção Independente de 2002 a 2009. Se formou na Escola de Teatro EnCena (2008).Teatro na Universidade Anhembi Morumbi (2009) e Rádio e Tv na Universidade Anhembi Morumbi(2013). Foi integrante durante oito anos do Grupo Sete Faces de Teatro. Em 2009, ingressou na oficina dos menestréis onde participou de duas montagens musicais "A Sétima Arte" (2009) e "A Sétima Arte II" (2010). Ministrou aulas de teatro no Colégio Montessori Santa Terezinha e Domus Sapientiae montando com os alunos os Espetáculos: "Mamma Mia!" (2009) e "Adeus à Berlin" (2010), "Grease" (2010) . Assinou alguns figurinos e visagismo da escola de ballet Montessori Santa Terezinha nos espetáculos: "Aladdin" (2008), "Alice no país das maravilhas" (2009) e "Para Sempre Na Memória" (2010). Fundou em 2010 o Grupo Teatral Dentro D´Cena e foi diretor geral dos espetáculos musicais: "A Noviça Rebelde" (2010 - 2011) e "Chicago, o Musical" (2011). Dirigiu em 2010 o documentário "Por trás da Cortina'' (2010) e fez a preparação de atores do curta "O Último Dia."  Deu aulas de Teatro Musical para Crianças e Adolescentes no Estúdio EnCanto (2011) e ministrou o curso para adultos,apresentando o musical: "A Broadway que ninguém viu" (2012), Integrou em 2015 a Cia. London onde fez preparação de atores das peças "O Caso dos Dez Negrinhos" Também dirigiu a Montagem de Peter Pan - O Musical pela mesma companhia. Assinou a direção artística do Centro de Pesquisa de Teatro Musical de 2013 a 2017. Em 2017 assumiu a coordenação da "A VOZ EM CENA"

Thiago Dombidau

Interpretação

Ator pelo Teatro Escola Macunaíma. Mestre pela Faculdade Cásper Líbero. Autor do livro A Broadway Não é Aqui – Panorama do Teatro Musical no Brasil. Graduado em Propaganda e Marketing pela ESPM e em Jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. É, ainda, professor de interpretação e história do teatro – atuando desde 1988 em diversas instituições públicas e privadas. Atuou em mais de 30 peças, entre elas: As Favoritas do Rádio e O Jovem Príncipe e a Verdade (musicais de Regina Galdino), Morus e Seu Carrasco (Gianni Ratto), Buster (Grupo XPTO), Brasas no Congelador e Bloco de Gelo em Chamas (Gerald Thomas – Companhia de Ópera Seca), A Megera Domada (Teatro do Ornitorrinco), Zorro (musical de Roberto Lage), Cândida e Urinal – O Musical (Zé Henrique de Paula), além da montagem da ópera Carmen (produção do Theatro São Pedro). Esteve ainda na histórica montagem de Sonho de Uma Noite de Verão no NY Shakespeare Festival (Nova Iorque e Cidade do México, 1991). Dirigiu mais de 20 peças, com destaque para: Solidão a Dois (Festival do Porto – Portugal), Rumo a Damasco, A Bomba Anatômica, O Inspetor Geral, Covardia, Me Inclua Fora Disso e Retraços de Mulher (Festival de Havana, Cuba). Em TV, destacam-se as telenovelas A Viagem e Chiquititas, além de: Carga Pesada e O Dentista Mascarado (Globo); e Charme com Adriane Galisteu (SBT). Em cinema os longas Alô (Mara Mourão) e Quanto Vale o Amor? (Roberto Moreyra). É diretor de eventos corporativos e possui graduação em Propaganda/Marketing (ESPM) e Jornalismo (Cásper Líbero) - Atualmente é coordenador do curso profissionalizante de Teatro Musical da A VOZ EM CENA

Gerson Steves

Interpretação

Iniciou seus estudos aos 10 anos de idade, participou de diversos cursos entre eles: Ballet Clássico, CBDD no Rio de Janeiro com Toshie Kobayashi, Jazz no CBDD com Roseli Rodrigues. Em 2010 sob direção de José Possi Neto, fez parte do espetáculo Baobá da Companhia Cisne Negro de Dança. Trabalhou no mesmo ano como assistente de coreográfias de Maiza Tempesta no TeenBroadway. Foi a Baronesa no musical “A Noviça Rebelde” 2011 – E Velma Kelly, em Chicago 2011.  Foi integrante do musical O Sonho do Cowboy de 2013 a 2016. E Madagascar Circus Show, no Parque Beto Carrero World. Integrou o elenco de Cinderella de R&H com direção de Möeller & Botelho. E atualmente está em cartaz com 60 Década de Arromba – Doc Musical direção de Frederico Reder

   Letícia Mamede

Dança

Formado em Artes Cênicas bacharel e licenciado na Universidade Anhembi Morumbi. Iniciou sua carreira aos 7 anos trabalhando com publicidade e cinema, aos 12 anos se formou no curso infantil no Teatro Escola Macunaíma, aos 14, realiza sua primeira peça profissional “Heróis de Verdade” que o leva a realizar matérias como repórter mirim do Uol crianças;  aos 16 se forma no curso profissionalizante do Studio Beto Silveira com o espetáculo musicado Tribobó City de Maria Clara Machado, com direção de Victor Mendes e Gabriel Delilo.  Tem em seu curriculo mais de 10 peças com diferentes diretores apresentadas no circuito paulistano. 

 Cayke Scalioni

Interpretação

Pós-graduada em Interpretação para Teatro Musical pela Escola Superior de Artes Célia Helena. Estudou ballet clássico e jazz desde os 9 anos de idade, passando por escolas importantes como o Ballet Ruth Nham, Stage Jazz - Teenbroadway e o Centro de Artes Ivankovich, onde também iniciou os trabalhos como professora de expressão corporal. Iniciou os estudos em teatro  musical no Centro de Pesquisa de Teatro Musical (CP Musical) em 2014, onde atuou em diversos projetos. Desde 2018, vem desenvolvendo um projeto pessoal de Pesquisa que busca integrar as principais linguagens da estética do Teatro Musical - canto, dança e interpretação - na preparação e desenvolvimento do ator. Em 2019, fundou o projeto Oficina EcoArte, com o intuito de aprofundar essa pesquisa. Atualmente, é professora na escola de teatro musical A Voz em Cena, onde assina a direção cênica e corporal de parte dos cursos de montagem e a direção geral do Curso Livre de Teatro.

Isabela Cardoso

Interpretação

Atriz desde 1992, diretora de teatro, dramaturga e preparadora corporal. Atuou em mais de 20 espetáculos. Integrou as Companhias Teatrais: Gestus - Núcleo de Pesquisa e Criação Teatral, Triptal Decisus e Teatro X, sob a direção de Gerson Steves, André Garolli e Paulo Fabiano, respectivamente. Idealizadora da Cia Azenha de Teatro, escreveu e dirigiu: "Jejum - no suor de teu rosto comerás o teu pão torradinho", "A Mãe d’Ele", "Lavadeiras da Memória", “Garden Now”,  “O Miolo da Missiva” e "O Pequeno Guardador de Rebanhos" - adaptação do poema O Guardador de Rebanhos de Alberto Caeiro para o público infantil. Atuação e coautoria com Gerson Steves em "A Bomba Anatômica", pela Cia Saia Justa de Teatro sob Medida. Atuou nas Montagens de: "As Sereias da Rive Gouche" (de Vange Leonel), direção de Regina Galdino , "A Noite dos Assassinos" (de Jose Triana), direção de Petrônio Nascimento e "Política da Editora" (de Eduardo Aleixo), direção de Cíntia Alves. Frequentou o Grupo de Estudos e Pesquisas em Gesto, Expressão e Educação da FEUSP e participou como preparadora corporal do Laboratório de Investigação Teatral - parte do projeto KAFKA: O INDIVÍDUO NA OBRA da Cia. Pau D'arco de Teatro, contemplado pelo edital de intercâmbio da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da USP para o espetáculo Expresso K, em turnê nas cidades de Belgrado e Praga. Ministrou o workshop "Visite Sua Exposição" dentro do Programa VISTA SUA EXISTÊNCIA -  Residências e Intercâmbios Artísticos | ProacSP/2017. Professora de Teatro desde 1994, ministrou aulas, cursos e oficinas em escolas e instituições (Recriarte, Teatro Escola Macunaíma, Incenna-Escola de Teatro e Televisão, Colégio Renascença, Unidades do SESC e Oficinas Culturais do Estado). 

Atualmente é diretora da Azenha de Teatro, onde atua também como dramaturga e atriz em roteiros cênicos realizados pelo Serviço de Turismo Social do SESC. Em 2018 publicou o livro "DESCARTE" - narrativas poéticas inspiradas em jogos de Tarô - Editora Kazuá.

Adriana Azenha

Interpretação e Corpo

Iniciou seus estudos de Ballet Clássico em 1979, aos 8 anos de idade, onde teve larga experiência com diversos ballets acadêmicos e de repertório clássico, premiados em vários festivais de dança, como o de Joinville, Passo de Arte e outros. Nessa fase tomou contato com a técnica da Royal Academy of Dance, se graduando nos níveis avançados deste mesmo método. Após os primeiros oito anos, ingressou na Watt’s Cia de Dança, sob direção de Ricardo Scheir e Nilson Soares, dançando, nesta Cia, obras clássicas, modernas, contemporâneas e jazz dance. Depois desta experiência aprimorou seus estudos com a grande mestra Halina Biernacka,,no método russo de Vaganova, integrando sua Cia, o Ballet Clássico de São Paulo, onde atuou  como corpo de baile, solista e primeira bailarina nos principais ballets de repertório clássico em tournés pelo país. Nesta fase, ainda, teve a oportunidade de fazer um curso de imersão/especialização na Escola Coreográfica do Ballet Bolshoi, na cidade de Moscou, Rússia, onde ficou, por seis meses, estudando as matérias ballet clássico, ballet de repertório e danças à caráter (folclóricas). Depois que voltou, se empenhou em formação superior pedagógica na Faculdade de Educação Física de Santo André-FEFISA, adquirindo o título de licenciatura plena em Educação Física. Nesta fase passou a ministrar aulas, trabalhos coreográficos e preparação de elenco. A partir de 2008, começou a se empenhar numa pesquisa e estudo das técnicas corporais necessárias ao publico de teatro e teatro musical e acabou por se especializar neste segmento, bem como desenvolver uma aula totalmente diferenciada, baseada na técnica clássica, porém mixada à outros estilos como o jazz dance, contemporâneo e musical jazz, a fim de levar este público específico de teatro musical à sua máxima performance cênica. Como consequência desse estudo e imersão profundos, se tornou umas das principais preparadoras técnica e corporal de celebridades do teatro musical, principalmente depois do musical O Rei Leão ( T4F, 2014), onde foi responsável por dar todo o aparato técnico, ensino e correções, para o coro de leoas e Nalas. Ministra coachings para cias de dança e teatro de todo o país, preparando muitos artistas para performances, montagens, audições e competições internacionais.

Alexa Gomes

Dança

Bacharel em canto e música pela Universidade Cruzeiro do Sul, Daniel é Tenor, professor de técnica vocal erudito e popular, pianista, regente e arranjador. Estudou Técnica vocal – Sede antiga CoralUSP, sob orientação de Antonieta Bastos, Baldur Liedsenberg e Carmina Juarez (2004 a 2007), Aulas de harmonia e Construção musical – Sede antiga CoralUSP, sob orientação de Roberto Rodrigues e Alberto Cunha (2004 a 2007). Curso de Filosofia Suzuki (2016); Anatomia e Fisiologia Aplicada à Clinica Vocal na fala e no canto - CEV  Regência Coral – Emesp Santa Marcelina, sob orientação de Ana Beatriz Valente Zaghi (2014); Foi Arranjador e regente - Coral e Orquestra Filarmônica Hatus (2007 a 2011) fez a Turnê de Concertos de Natal – SESC (2010) Como coralista se apresentou no Club Athletico Paulistano (2011) na Montagem pocket da Ópera Carmen de Georges Bizet, sob orientação de Mauro Wrona. Regente e preparador vocal – Coral Telefônica (2011). Regente e arranjador – Musical Chicago. Pianista, arranjador e preparador vocal Coral Feminino IBPV (2013) Maestro, arranjador e preparador vocal – Musical O Dia da Esperança (2014) Regente – Coral Feminino IBPV (2015 até 2016) Virada Coral, durante a Virada Cultural de São Paulo, na Cripta da Catedral da Sé e no Museu de Arte Sacra  Regente – Canta São Paulo (Projeto do Theatro Municipal e Prefeitura de São Paulo (2015)  Criador do Curso Modular de Harmonia com Ênfase em Solfejo para Cantores (2016). Maestro, arranjador e preparador vocal – Musical Ele Voltará - Coral e Orquestra Palavra Viva (2017) Orquestração das canções italianas “La Pastorella degli Alti” e “La Danza” de Gioachino Rossine para a Orquestra Jovem e Academia de Ópera ambos do Theatro São Pedro no Concerto Cênico Efemérides (2018)

Daniel Carvalho

Canto 

Formada pelo Teatro Escola Célia Helena em 1999 e Mestre em Movement Studies pela Royal Central School of Speech and Drama – University of London, Reino Unido, 2010. Foi membro da Cia. da Revista, de São Paulo, de 2010 a 2016, tendo participado dos espetáculos: Um Dez Cem Mil Inimigos do Povo, de Cassio Pires sobre texto de Henrik Ibsen (2016); Ópera do Malandro, de Chico Buarque de Hollanda (2014/15). Kabarett (2012-14); Cabeça de Papelão (2012-16), Prêmio de Melhor Atriz no Festival de Teatro de Taubaté (2013); Cada Qual no Seu Barril, dramaturgia corporal de Bruna Longo e Daniela Flor (2011-2017). Indicada como melhor atriz ao prêmio FEMSA de Teatro Infantil e Jovem; e Carnavalha (2011), de Bruna Longo. Todos com direção de Kleber Montanheiro. Colaborou com a companhia dinamarquesa Odin Teatret dirigida por Eugenio Barba, como atriz, de 2006 a 2010, tendo trabalhado nos espetáculos: The Marriage of Medea (2008) e Ur-Hamlet (2006 e 2009), ambos com direção de Eugenio Barba, e traduzido o livro “Rastros - Treinamento e História de Uma Atriz do Odin Teatret”, de Roberta Carreri, Editora Perspectiva, 2011 (italiano para português). Alguns dos trabalhos recentes como diretora de movimento foram: Nos trilhos abertos de um leste migrante, direção: João Junior (2017); Vocês que me habitam, direção: Erica Montanheiro (2017); Roupa Suja, de César Ferrario sobre contos de Marcelino Freire. Direção: João Junior (2017); Os Dois e Aquele Muro, de Ed Anderson. Direção: Francisco Medeiros (2016); Navio Fantasma – Holandês Voador, de Paulo Rogério Lopes. Direção: Kleber Montanheiro (2015); King Lear, de William Shakespeare. Direção: Catherine Alexander. Londres, Reino Unido (2010); Epsom Downs, de Howard Brenton. Direção: Pete Harris. Guildford, Reino Unido (2010).

Bruna Longo

Interpretação

Seu primeiro contato com a dança foi quando criança, na escola e na igreja, onde fazia aulas de ballet e jazz.  Apesar de ter tido contato com a dança desde cedo, foi em 2009 que iniciou seus estudos em Teatro Musical - arte a qual se dedica até hoje.  Ao longo desses anos, se formou em diversas escolas de Teatro Musical, tendo aula com professores renomados na área, como: Kátia Barros, Thiago Jansen, Vivi Mori, Maiza Tempesta, Letícia Mamede.
Como dançarina, participou de eventos, peças teatrais,flashmobs e intervenções diversas pelo Brasil, principalmente em São Paulo.Entre seus trabalhos, destacam-se: Teatro Musical:  O mágico de Oz (Cia Realce - 2009-2014), Os Saltimbancos (Cia Realce - 2010-2019), Tchau e Bença (Face a Face 2015), Alice no País das Maravilhas (Cia Cambaio - 2018- 2020), Branca de Neve (Cia Cambaio - 2019), A Pequena Sereia (Cia Cambaio - 2019). 
Como atriz convidada: “Você é um bom amigo, Charlie Brown” (Senac - 2015), The Rocky Horror Show (4 Act P.A. - 2012), A Chorus Line (Senac - 2011), Avenida Q (4 Act P.A. - 2010) Dançarina: FlashMob Glee (Canal Fox - 2010), Trupe Trash80 (2010-2011), Os maquinistas (2011), Peter Pan (2019)  Coreógrafa: “A história do carnaval” (Shopping Santa Cruz - 2010), Flashmob Artístico (Shopping Santa Cruz - 2011), Flashmob GREASE para a Virada Cultural do Shopping Light (2013), Uma Janela para o Infinito (Cia Cambaio - 2018) Professora: Ballet infantil (Cia Athletica - 2015 / Studium Ballet - 2016 / Studio K - 2019/ IBRASCE - 2019), Rockabilly & Charleston (Applause 2013-2014), Expressão corporal para 3ª idade (Studio K - 2019), Dança para Teatro Musical (A Voz em Cena - 2020).

Mônica Bonna

Dança

Participou da montagem de diversas óperas e recitais como: Ópera Le Nozze di Figaro – W.A.Mozart como Barbarina (2009 e 2010), Coro da Ópera El Niño Judio – Pablo Luna (2010), Coro da Ópera Carmem – G. Bizet (2011), Ópera O Empresário – W.A.Mozart como Mademoiselle Silberklang (2013 e 2015), coro da Ópera O Espelho de Jorge Antunes e Jorge Coli (2017), coro da Opera La Belle Hélène de J.Offenbach (2017), Efemérides (concerto encenado da Academia de Opera do Theatro São Pedro como Pastorella – 2018), Clássicos na Ópera (concerto encenado da Academia de Opera do Theatro São Pedro como Leonore da Ópera Fidelio de Beethoven – 2018), coro da opera Katia Kabanova de L. Janacek (2018), coro da ópera As Alegres Comadres de Windsor – O. Nicolai (2018), Em Família (concerto encenado da Academia de Opera do Theatro São Pedro como Donna Anna e Lauretta - 2019), coro da opera La Clemenza di Tito de W.A.Mozart (2019), coro da ópera O Peru de Natal de L Martinelli e Ópera L'etoile – E. Chabrier como Aloès (2019). Recital de Graduação – Repertório: “Stabat Mater” de G. B. Pergolesi (2010) e Recital “Terças Líricas: Uma Paisagem Barroca.” (2010). Fez parte do coro do Aprendiz de Maestro sob a direção do Maestro Mauricio Gallindo – junho e novembro de 2011 na Sala São Paulo, da obra Requiem de W. A. Mozart com o coral da Escola Maestro Fego Camargo e Coral EnCanto – dezembro/2011 e da Nona Sinfonia de Beethoven encenada com o Coro e Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto em julho/2012. Foi solista das obras Oratório de Natal – Camille Saint-Säens em 2014, Missa em G de F. Schubert e Missa em Bb de W A Mozart na Virada Coral em 2015, Magnificat de John Rutter em 2015 e 2016, Primeira Parte do Messias de Haendel (2015 e 2016) na Cripta da Catedral da Sé, Missa em Bb de W A Mozart (2016), Requiem de W A Mozart (2016) e Missa em Cm de W A Mozart como soprano 1 e soprano 2 (2017 e 2019). Participou como solista da Orquestra Filarmônica de São Bernardo do Campo no Parque Salvador Arena, no jantar de gala do aniversário da cidade (2017), no musical Especial de Natal (2017) e do musical de Páscoa A Grande Decisão (2018) e do Requiem de W. A. Mozart (2018) na Igreja Matriz de São Bernardo. Participou como solista do concerto com a Orquestra do Instituto GPA no Teatro São Pedro (2016) e na Sala São Paulo (2017). Fez parte do Concerto da ORTHESP como Leonore (Fidelio) e Elizabeth (Tannhäuser) na Sala São Paulo (2018).

Diretora Vocal, Arranjadora e personagem A Sogra na peça Bodas de Sangue – F.G. Lorca com a Cia London no Teatro Viradalata – 2016.

Participou de Masterclasses com Martha Herr (EUA), Juremir Vieira, Luciano Simões, Eliane Coelho, André Heller-Lopes, Brian Zeger (EUA), Mary Birnbaum (EUA), Adam Nielsen (EUA).

Cintia Cunha

Canto

Estudou com grandes mestres do sapateado nacional, como Lidia Duarte, Patrícia Stelett, Charles Renato, Gisella Martins e Luyz Baldijão. Fez um curso de formação para professores de sapateado com Luyz Baldijão em 2019. Fez parte da Cia Let’s Tap dirigida por Gisella Martins. Foi professora nas escolas Company Ballet, Pulsarte, e atualmente ministra aulas nas escolas Studium Ballet, Estúdio Broadway e Milena Malzoni Dance Center.   

Ingressou no teatro em 2003, nos musicais “O Mágico de Oz” e “Pinoccio” da CIA. Black & Red, direção de Billy Bond, em turnês pelo Brasil e Chile (2003 a 2007). Alguns de seus trabalhos mais importantes foram as peças “Sem Pensar”, texto de Anya Reiss e direção de Luiz Villaça, da qual ganhou o Prêmio Contigo de Melhor Comédia (2011 e 2012), “A Descida do Monte Morgan”, texto de Arthur Miller e direção de Luiz Villaça (2013), “Cais, ou Da Indiferença das Embarcações”, texto e direção de Kiko Marques, na qual atuou como assistente de direção. A peça teve 19 indicações e ganhou os Prêmios Shell, APCA e Aplauso Brasil de melhor dramaturgia e o prêmio Qualidade Brasil de melhor direção (2012 a 2016). Também atuou em “O Mistério no Expresso do Oriente”, uma adaptação do romance de Ágatha Christie “O Assassinato no Expresso do Oriente”, escrito e dirigido por Maristela Chelala (2017/2019). Maristela também dirigiu a peça “Comédia dos Erros” de William Shakespeare, que ficou em cartaz em 2018 e 2019. A peça teve 5 indicações, dentre elas, Paula foi indicada na categoria de melhor atriz coadjuvante pelo Prêmio São Paulo de Incentivo ao teatro Infantil e Jovem.

Fez participação em algumas séries de televisão, dentre elas o “Pico da Neblina”, no canal HBO, direção de Fernando Meirelles

Paula Ravache

Dança

Autodidata inicialmente formou-se em maquiagem e caracterização com a expert Corinne Perez, em 2001 e em maquiagem artística, no badalado Stick Art Studio, em Barcelona (Espanha). Especializou-se com profissionais renomados como Beto França e Henrique Mello no Brasil, nos Estados Unidos com Bruna Nogueira, Dany Sanz, Nicoleta Skarlattos e a ganhadora do Oscar, Ve Neill.

Assinou a caracterização/maquiagem de diversos espetáculos de sucesso nacionais e internacionais, tais como: "Uma Noite Com Yoko", espetáculo em comemoração ao 50 Anos de Carreira da artista multimídia Yoko Ono; "The Infernal Comedy - Confissões de um Serial Killer", com John Malkovich; “Rigoletto”, direção de Felipe Hirsch e Daniela Thomas, ópera em comemoração ao Centenário do Teatro Municipal de São Paulo; assinou os espetáculos “Loucas por Eles”, adaptação de Walcyr Carrasco com direção de Fernando Cardoso e o aclamado “Frida Y Diego” com direção de Eduardo Figueiredo e texto de Maria Adelaide Amaral, pelo qual recebeu o Prêmio Arte Qualidade Brasil 2015 de melhor maquiagem e caracterização. Sob a direção de Miguel Falabella, Anderson assinou os espetáculos “Godspell”, “Os Monólogos da Vagina”, “Hair Spray”, “A Gaiola das Loucas”, “Xanadu”, “Alô Dolly!” e o premiado "Hebe - O Musical", sucesso absoluto de crítica e público, vencedor de três prêmios de melhor caracterização. Prêmio Musical Cast , Prêmio Arte Qualidade Brasil e Prêmio Bibi Ferreira, a mais importante premiação do Teatro Musical Brasileiro. Mais recentemente Anderson atravessou o Atlântico e assinou a caracterização da peça "A Dama Das Camélias" em Lisboa, Portugal, com o premiado ator Roberto Cordovani.

Anderson Bueno

Maquiagem

Criou cenário, figurino e luz do espetáculo Misery, com Marisa Orth e Luis Gustavo; Cada
um com seus ‘pobrema’, de Marcelo Médici; cenário e iluminação de Madame de Sade,
direção de Roberto Lage, Macbeth, direção de Regina Galdino, entre muitos outros. Dirigiu
O Doente Imaginário, de Molière; Sonho de uma Noite de Verão, de Shakespeare; e A
Odisséia de Arlequino, uma commedia dell’arte inspirada nos canovaccios italianos.
Ganhou o prêmio APCA 2008 por Sonho de Uma Noite de Verão e o prêmio FEMSA 2009
por A Odisséia de Arlequino, ambos de melhor diretor. Foi vencedor dos prêmios APCA e
FEMSA 2012 pelos cenários e figurinos de A História do Incrível Peixe Orelha. Dirigiu em
2013 no Teatro Popular do SESI: Crônicas de Cavaleiros e Dragões, inspirado no livro A
Saga de Siegfried, de Tatiana Belinky, recebendo o prêmio FEMSA 2013 de melhor
iluminação. Recebeu o prêmio São Paulo pelos figurinos da peça Carmen, a Grande
Pequena Notável. Em 2018 foi indicado ao prêmio Shell de melhor figurino e ao prêmio Bibi
Ferreira de melhor cenografia pelo espetáculo Um Beijo Em Franz Kafka, de Sérgio Roveri,
direção Eduardo Figueiredo. Em 2019 foi indicado ao prêmio Shell de melhor cenografia
por Visceral, de Nanna de Castro, dirigido por Dan Rosseto. Está indicado ainda ao prêmio
Aplauso Brasil 2019 pelo figurino de Frida - Viva La Vida, de Humberto Robles, direção de
Cacá Rosset.
Recebeu o prêmio de melhor figurino e visagismo pelo filme “Ser ou Não Ser” no VI FBCI
Festival Brasil de Cinema Internacional, direção de Elder Fraga.
Dirigiu ainda Ópera do Malandro, de Chico Buarque de Hollanda (2014/2015), Um Dez Cem
Mil Inimigos do Povo (2016), inspirado no clássico de Henrik Ibsen, Carmen, a Grande
Pequena Notável (2018/2019), musical com Amanda Acosta sobre a vida e obra de Carmen
Miranda e O Canto de Ninguém (2020), de Luccas Papp, com Luccas Papp e Fabi Bang.
É diretor artístico da Cia. da Revista e diretor residente de espetáculos finais do curso
profissionalizante da Escola de Atores Wolf Maya.

Kleber Montenheiro

Interpretação

Rodolfo Schwenger

Canto

Pianista nos musicais: Crazy For You (de Cláudia Raia, direção de José Possi Neto e direção musical de Marconi Araujo); Chaplin – O Musical (direção de Mariano Detry e direção musical de Marconi Araujo) MPB-Musical Popular Brasileiro (direção de Jarbas Homen de Melo e direção musical de Miguel Briamonte), Aparecida-Um musical (direção de Fernanda Chamma e direção musical de Carlos Bauzys). Pianista e assistente de direção musical nos musicais: O Palhaço e a Bailarina (de Kiara Sasso e Lázaro Menezes, direção de Lázaro Menezes e direção musical de Guilherme Terra); Ghost – O Musical (direção de José Possi Neto e direção musical de Paulo Nogueira) Aladdin (direção de Carla Candiotto e direção musical de Carlos Bauzys) Summer –Donna Summer Musical (direção de Miguel Falabella e direção musical de Carlos Bauzys). Composição e direção musical: Me dá sua mão. Pianista substituto nos musicais: Mudança de Hábito, Wicked, Do outro lado e Annie. Arranjador convidado do musical Paralamas em Cena (direção de Isser Korik e direção musical de Paulo Nogueira). Blues, Concerto Para Piano – arranjo, roteiro musical e pianista (direção de Dinah Perry). Piano ao vivo na peça Amigas, pero no mucho (direção de José Possi Neto e direção musical de Miguel Briamonte). Pianista dos shows Desafiando a amizade e Lírios na lama.
É regente e diretor musical do coral dos funcionários do Google São Paulo, atualmente coral Sing From Home
É Bacharel em Música, com habilitação em Composição e Regência, pela UNESP e técnico em Regência pela Escola de Música de São Paulo.
Sua atuação como pianista envolve o acompanhamento de diversos coros como o da FESPSP - Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo e o Coral Infantil da Escola Móbile.
Trabalhou como professor de teoria musical, regente coral e pianista correpetidor no Projeto Guri Santa Marcelina.

Nicholas Carrer

Guerrero

Formado no Bacharel em Regência e cursando o bacharelado em Artes Cênicas pela UNESP, com nível técnico em Canto e em Regência Coral pela Etec de Artes, atua como regente, cantor, ator, preparador vocal, diretor musical e diretor cênico. Iniciou os estudos no Conservatório Villa-Lobos, onde se dedicou à regência, violão de concerto e piano.
Trabalhou como diretor musical e regente de espetáculos como “O Corcunda de Notre-Dame – O Musical” (Cia EnFormação de Teatro), “O Despertar da Primavera” (CP Musical), a ópera “A Empregada Patroa” e a peça profissional “Avalon” (Cia London). 
Como ator, já esteve em produções de “Com a Pulga Atrás da Orelha”, “Manjar dos Deuses”, também da Cia London, e “Oh Verona”, musical da Cultura Inglesa no qual também assinou a preparação vocal e atuou como assistente de direção musical.
Como regente, já esteve à frente da Orquestra Acadêmica de Suzano, Harvard-Radcliffe Collegium Musicum (EUA), Orquestra de Repertório Manfredo de Vincenzo, Camerata Paulistana, Sinfonietta Paulista, Ensemble Universitária e Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí, além de ser o criador do Coral Adulto de Suzano que, entre 2015 e 2016, teve um papel fundamental na divulgação da música coral no município de Suzano como grupo de referência.
Hoje, é diretor cênico da Cia Madrigal de Teatro, Regente assistente do Coral Vozearte e atua como educador em Canto Coral da Fábrica de Cultura do Sapopemba e do Belém além  diversas outras instituições da cidade de São Paulo.

Canto
Atendimento
Segunda a Quinta das 14h às 22h
Sábados das 11h às 17h
Whatsapp - (11) 98927-0288     Telefone - (11) 35895139
E-mail - avozemcena@gmail.com
Rua Comendador João Gabriel 75 | 79 - São Paulo - SP
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube